Hérnia de Disco

O que é Hérnia de Disco

A hérnia de disco é uma condição relativamente comum e pode ocorrer em toda a coluna, porém os locais mais comuns são a coluna lombar e cervical devido a maior mobilidade nessas regiões. A hérnia de disco é mais comum do que imaginamos, inclusive em indivíduos muitas vezes sem sintomas,e aqui iremos entender o porquê disso.

hérnia de discoQuando nos referimos ao termo “hérnia de disco” queremos dizer que a estrutura responsável por ser um “amortecedor” entre as vértebras, saiu do seu lugar habitual. Esse deslocamento do disco pode comprimir os nervos da coluna e causar dor.

A hérnia de disco pode determinar limitações em graus variados. Os discos deslocados (ou herniados) geralmente são causados por esforço excessivo ou trauma. Entretanto, alguns pacientes podem desenvolver hérnia de disco devido ao envelhecimento natural da coluna e fatores genéticos.

Uma boa notícia é que a história natural da hérnia de disco mostra que a maioria dos casos cicatrizam e acabam sendo reabsorvidos (diminuem) com o tempo. Esse período para a reabsorção é muito variável de paciente para paciente, podendo ser de algumas semanas até alguns meses. Trata-se de um processo natural de cura que pode efetivamente ocorrer ao longo do tempo. Em alguns pacientes a reabsorção pode demorar muito ou até mesmo ocorrer uma calcificação do disco, levando a sintomas persistentes.

Veja na imagem da ressonância magnética abaixo um caso de hérnia de disco lombar que foi reabsorvida em 4 meses:

Observe no caso acima que o componente hérniado (deslocado) do disco desapareceu, porém o desgaste e desidratação do disco permanece (processo irreversível de degeneração). Esse paciente ficou completamente sem dor após a reabsorção da hérnia de disco.

Como um especialista em coluna pode ajudar?

Um ortopedista especialista em coluna atua na prevenção diagnóstico e tratamento de problemas que acometem a coluna, como a hérnia de disco. A abordagem deste profissional tem um maior foco na estrutura lesionada, além disso, técnicas cirúrgicas que visam agredir de forma mínima o paciente, podem ser indicadas por um médico especializado, tendo em vista o seu conhecimento aprofundado.

Como se forma uma hérnia de disco?

A hérnia de disco se forma quando ocorre uma ruptura na “capa” do disco. Essa “capa” é chamada de ânulo fibroso, sendo formado por várias fibras. Quando isto ocorre, o conteúdo (núcleo pulposo) costuma extravasar semelhante a um gel. O canal por onde passam os nervos na coluna (canal vertebral) tem espaço limitado para o conteúdo líquido e nervos. Portanto, quando o disco começa a ocupar esse espaço limitado, normalmente há compressão neurológica e dor.

Todos nós iremos apresentar algum “desgaste” ou degeneração do disco ao longo dos anos. Esse processo geralmente se inicia aos 20 e poucos anos de idade e progride lentamente. A medida que o disco degenera, ele “desidrata”, causando fragilidade na sua estrutura e maior suscetibilidade a ruptura e herniação.

Existem alguns fatores de risco que podem acelerar esse processo como: movimentos repetitivos de flexão/torção da coluna vertebral, levantamento de pesos de forma incorreta, traumatismos na coluna, obesidade, tabagismo e genética.

Quais os sintomas de uma hérnia de disco?

A dor causada por uma hérnia de disco pode variar muito em intensidade e localização. Na maioria dos casos ela é sentida em apenas um lado do corpo.

Se houve lesão do disco, porém sem herniação ou deslocamento significativo, a dor costuma ficar limitada a região do disco. Como exemplo comum temos a ruptura ou fissura do ânulo fibroso (a capa do disco).

Nos casos em que a hérnia de disco efetivamente toca ou comprime as estruturas nervosas, geralmente a dor é referida em outro local ou até mesmo irradiada desde a coluna até a estrutura inervada pela raiz nervosa acometida. Nesses casos os sintomas mais comuns são: dor intensa na coluna com sensação de irradiação para um membro (braço, mão, perna, pé, etc), formigamentos, amortecimentos, câimbras, perda de força ou travamentos, etc.

Como é feito o diagnóstico da hérnia de disco?

A história clínica e o exame físico são fundamentais no diagnóstico da hérnia de disco. O relato clássico de dor na coluna com irradiação para um braço ou uma perna associado a alguma alteração de sensibilidade ou alteração motora sugere fortemente o diagnóstico. É claro que existem muitos diagnósticos diferenciais que devem ser excluídos, daí a importância da avaliação médica.

Para auxiliar o diagnóstico, os principais exames realizados são: radiografias e ressonância magnética. Esses exames são não invasivos e permitem o diagnóstico na maioria dos casos.

Veja no vídeo abaixo uma demonstração da hérnia de disco nos exames de imagem e sua evolução:

Tratamento para hérnia de disco

Cerca de 90% dos casos de hérnia de disco melhoram e efetivamente se resolvem com o tratamento clínico/conservador. Esse tratamento sempre deve ser indicado por um médico.

hérnia de discoAs opções de tratamento são muitas. Nos primeiros dias é aconselhável um repouso relativo, medicações analgésicas, antiinflamatórias e algumas vezes até opióides para a crise aguda, Fisioterapia analgésica e Acupuntura. Nesse momento a prática de exercícios de fortalecimento e alongamentos deve ser suspensa até a melhora dos sintomas agudos. Atividades esportivas também devem ser suspensas.

Após a fase aguda e a melhora do processo doloroso e inflamatório, é fundamental a reabilitação da musculatura da coluna vertebral, abdomen e membros. Aqui entram técnicas de fortalecimento muscular, alongamentos e estabilização postural. Muitos casos estão relacionados a má postura crônica. Nesse momento é muito importante o acompanhamento de um fisioterapeuta para orientar os exercícios de Fisioterapia motora, RPG e fortalecimento.

A prática regular de exercícios também é muito importante para evitar novas crises e novas hérnias de disco no futuro. Os exercícios mais indicados são: caminhadas, natação, pilates, yoga e academia com restrição a alguns exercícios que podem sobrecarregar os discos.

hérnia de discoCerca de 10% dos pacientes com hérnia de disco persistem com os sintomas dolorosos ou eventualmente apresentam sinais neurológicos associados e progressivos. Nesses casos, quando há falha do tratamento clínico, pode estar indicado o tratamento cirúrgico.

Existem vários tipos de tratamentos cirúrgicos para a hérnia de disco e cada caso deve ser individualizado, daí a importância de passar em avaliação com um especialista em coluna. Atualmente damos preferência para o uso de técnicas minimamente invasivas para a retirada da hérnia de disco, onde o tempo de internação é menor e a recuperação pós-operatória é mais rápida.

A retirada da hérnia de disco por endoscopia de coluna (cirurgia por vídeo da coluna) é realizada por um corte mínimo na pele (8mm). É introduzida uma pequena cânula com uma microcâmera de alta resolução, sem lesão muscular como nas cirurgias abertas tradicionais. Esse tipo de procedimento permite, na maioria dos casos, alta precoce no mesmo dia e retorno rápido às atividades habituais. Veja abaixo uma imagem real do procedimento e um vídeo-resumo de exemplo.

É fundamental sempre passar em avaliação médica com um especialista em coluna nesses casos.

A hérnia de disco pode voltar mesmo após a cirurgia?

Sim, mesmo após a intervenção cirúrgica pode ocorrer uma recidiva. Esse risco é baixo e está relacionado a alguns fatores anatômicos do paciente, seu estilo de vida e se ocorreu ou não uma boa reabilitação motora e fortalecimento muscular da região da coluna vertebral.

Todavia, se a hérnia discal se desenvolver novamente, cabe a avaliação do ortopedista especialista em coluna para diagnóstico, visto que em tais casos, nem sempre a cirurgia é indicada. Terapias complementares como a Reeducação Postural Global e fisioterapia, auxiliam no alívio dos sintomas e tratamento do quadro.

A manutenção do peso também é um dos fatores que auxiliam na prevenção de novas hérnias de disco, portanto, é válido o paciente procurar o acompanhamento nutricional e mudar os hábitos alimentares para que os impactos sejam nítidos na saúde de maneira geral.

Quanto tempo dura a recuperação pós-cirurgia de hérnia de disco?

Após a cirurgia, o paciente precisa seguir as orientações do ortopedista especialista em coluna, realizando sessões regulares de fisioterapia, a fim de recuperar a força articular e ter melhores posturas para que não haja uma sobrecarga desnecessária sobre os discos intervertebrais, favorecendo o desgaste prematuro ou deslocamento destas estruturas.

Seguindo as orientações, o indivíduo está apto a realizar atividades diárias em um período que varia de 5 a 10 dias. Contudo, é preciso manter o acompanhamento ortopédico para avaliação periódica. A prática de esportes, no entanto, deve ser autorizada somente após um mês, caso o paciente esteja seguindo o processo pós-operatório de maneira satisfatória.

Toda informação é de caráter apenas informativo e não substitui uma avaliação médica com um Especialista em Coluna.

Leia Também

cifose

Cifose

A cifose é uma curvatura normal da coluna torácica, no entanto, quando há a presença da hipercifose, nota-se uma curva acentuada nessa região, podendo ser flexível ou rígida.

bico de papagaio

Bico de Papagaio ou Osteófito

Presente em muitas pessoas, os tradicionais bicos de papagaio ou osteófitos são uma condição natural do envelhecimento da coluna. A presença destes ‘novos ossos’ causa dor e fraqueza muscular.

artrose na coluna

Artrose na Coluna

Condição bastante comum, a artrose na coluna é caracterizada pelo desgaste da estrutura, fator que resulta em quadros dolorosos e na limitação de movimentos.