Cirurgia de Escoliose

Cirurgia de Escoliose

Quando entramos no tema cirurgia de escoliose, sempre há uma grande preocupação por parte do paciente e de sua família. O que é normal e esperado em uma cirurgia de grande porte como essa.

cirurgia de escolioseA indicação da cirurgia de escoliose deve ser avaliada no contexto global do paciente e o atendimento médico a essa família deve ser o mais humano e esclarecedor possível.

A escoliose é um problema estrutural da coluna, que pode ser desencadeado por fatores neurológicos, idiopáticos ou devido a agentes externos, sendo uma condição progressiva devido ao estilo de vida do paciente, como não praticar esportes ou devido à postura a longo dos anos.

Em quadros congênitos, onde o paciente nasce com a alteração na coluna, geralmente são notadas assimetrias em outras partes do corpo, como no comprimento das pernas, o que impacta diretamente na coluna.

Ter o acompanhamento de um ortopedista especialista em coluna auxilia no diagnóstico e tratamento para a escoliose. Este profissional pode indicar tratamentos complementares, além da utilização de órteses que atuem na correção do desvio postural.

Quais os sintomas da escoliose?

Dependendo do grau, a escoliose pode causar problemas às outras estruturas adjacentes da coluna, como os pulmões e rins, visto que a curvatura anormal para os lados pode comprimir os órgãos.

Além da compressão, o paciente apresenta dores constantes na região da coluna e assimetria em outras partes do corpo, como os ombros e pernas.

Diagnóstico e tratamento da escoliose

Primeiramente há necessidade de um diagnóstico preciso da escoliose por parte do seu médico especialista em coluna. Determinar se há causas secundárias para a escoliose ou se o diagnóstico é de uma escoliose sem causa definida (escoliose idiopática).

É importante também esgotar os possíveis tratamentos clínicos e avaliar, de acordo com o grau da curva atual e o potencial de crescimento do paciente, se há realmente a necessidade de um procedimento cirúrgico. Em muitos casos de escoliose, medidas clínicas como observação, colete e reabilitação motora são o tratamento inicial.

Casos de curvas progressivas e que atingem determinados valores angulares podem requerer cirurgia.

A indicação de cirurgia na escoliose deve sempre ser feita em consulta médica através de anamnese, exame físico e exames complementares, de acordo com critérios técnicos.

Uma vez indicada a cirurgia, um preparo pré-operatório do paciente é fundamental (exames pré-operatórios, avaliação anestésica, etc). Determinar melhores datas para o procedimento e estimar o tempo de recuperação, pois grande parte dos pacientes estão em idade escolar.

Apesar da cirurgia de escoliose ser um procedimento consagrado em todo o mundo há muitos anos, diversas evoluções ocorreram nesse campo. Inclusive diversos procedimentos cirúrgicos e técnicas de correções estão disponíveis atualmente.

cirurgia de escolioseEm crianças muito pequenas ou que ainda não entraram no estirão do crescimento, muitas vezes técnicas alternativas podem ser utilizadas para não realizar a fusão óssea no segmento a ser corrigido, e assim permitir o crescimento da coluna durante o tratamento (técnicas de instrumentação para crescimento sem artrodese, gessos seriados, etc).

Em adolescentes e adultos, o procedimento padrão é a correção da curva com artrodese (fusão óssea). A fusão óssea após a correção cirúrgica da curva é necessária para manter a estabilidade e rigidez da coluna após a cirurgia. Para isso usamos uma combinação de implantes metálicos na coluna (parafusos, hastes, etc) e enxerto ósseo. Além de corrigir a deformidade, a cirurgia de escoliose evita uma nova deformidade naquele segmento. Em procedimentos como esse, não é necessária qualquer imobilização no pós-operatório.

A cirurgia de escoliose pode durar de 3 a 5 horas em média, dependendo da complexidade do caso. Se contarmos todo o procedimento anestésico e a preparação da monitorização neurofisiológica intraoperatória (sistema instalado no paciente antes da cirurgia para testar os nervos e garantir a segurança neurológica na correção), o tempo total pode ser de mais de 6 horas.

Como são procedimentos de grande porte, normalmente os pacientes ficam entre 3 e 4 dias internados. No pós-operatório, durante a internação hospitalar, os pacientes seguem um protocolo de reabilitação precoce. No dia seguinte à cirurgia, o paciente já pode sentar na cama e levantar no quarto, conforme tolerado. No segundo dia após a cirurgia iniciamos o treino de marcha efetivo (andar no corredor do hospital), propriocepção e exercícios com a fisioterapia. A partir do terceiro dia, se a dor já estiver controlada com analgésicos simples por via oral, o dreno de sucção já tiver sido retirado, começamos a programar a alta hospitalar.

A cirurgia de escoliose é sempre indicada?

A cirurgia de escoliose só é indicada em casos onde as opções para tratamentos conservadores se esgotaram. O procedimento é considerado uma última opção pois é uma operação de alta complexidade e grande porte, sendo caracterizado por ter uma recuperação lenta.

Quem pode ser submetido à cirurgia?

Pacientes que foram submetidos às abordagens conservadoras e não obtiveram resultados significativos na redução da alteração estrutural da coluna. Os indivíduos que possuem um quadro progressivo e curvaturas mais graves também são candidatos à realização da cirurgia de escoliose.

Todavia, antes de ser submetido ao procedimento, é de suma importância a avaliação e orientação de um ortopedista especialista em coluna para que o profissional determine qual técnica é a mais efetiva para o quadro do paciente.

Como é a recuperação da Cirurgia de Escoliose?

É interessante fazer um repouso relativo nos primeiros 10 a 15 dias após a cirurgia para a boa cicatrização da ferida operatória e evitar infecções. Nesse período é importante a observação da cicatrização da pele e tomar as medicações analgésicas por via oral conforme a indicação médica. Avaliações periódicas no consultório são necessárias.

Quando falamos em repouso relativo entende-se por andar normalmente, fazer atividades diárias independentes, porém sem carregar pesos e evitar sair em lugares com multidões. Não há necessidade do paciente ficar deitado durante o dia, nem é aconselhável. Deitar apenas para dormir. Nesse período as crianças e adolescentes recebem um atestado escolar. Algumas famílias preferem marcar o procedimento com antecedência para o período de férias escolares.

Após uma Cirurgia de Escoliose, quando é o retorno aos esportes?

Os pacientes que realizam uma cirurgia de escoliose têm vida normal após uma consolidação óssea sólida e sem complicações.

Entretanto, para retornar aos esportes e atividades físicas com peso e impacto, temos que ter certeza que a artrodese está consolidada (fusão óssea sólida do segmento da coluna operado). O tempo médio desta consolidação é de 4 a 6 meses e é acompanhado mensalmente por seu médico com exames de imagem nas consultas regulares após a cirurgia.

Qual o conselho para uma pessoa que está programando uma Cirurgia de Escoliose?

Discuta bem o assunto com seu médico, esclareça todas as dúvidas e expectativas. Muitos pacientes preferem ter uma segunda ou terceira opinião com outros especialistas da área para maior segurança da família e do paciente. Essa conduta é normal e saudável.

Em alguns casos também sugerimos entrar em contato com outros pacientes que já se submeteram à Cirurgia de Escoliose e suas respectivas famílias.

Cirurgia de Escoliose, como já dissemos, é um procedimento de grande porte e deve ser bem programada e aceita pelo paciente de forma tranquila e segura.

Procure sempre a orientação de um médico Especialista em Coluna nesses casos.

Leia Também

escoliose idiopática

Escoliose Idiopática

Escoliose é uma alteração na estrutura da coluna. Inicia-se mais comumente na fase da adolescência. Entre os tipos de escoliose, a mais comum é a escoliose idiopática.

escoliose neuromuscular

Escoliose Neuromuscular

Quando a escoliose neuromuscular ocorre, a coluna vertebral geralmente adquire o formato de um “C” longo – principalmente em crianças.

escoliose congênita

Escoliose Congênita

A escoliose congênita é uma deformidade estrutural relacionada a um problema congênito que afeta a formação da coluna. As vértebras podem ter sua formação incompleta ou até fusionadas entre elas.