Cirurgia de estenose lombar: saiba mais

Cirurgia de estenose lombar: saiba maisA cirurgia para estenose lombar é um dos tratamentos disponíveis para corrigir estreitamentos no canal vertebral, um espaço no meio da coluna vertebral que abriga a medula espinhal e as raízes nervosas que vão para os braços e pernas.

 

O estreitamento pode ocorrer na coluna cervical, torácica, ou lombar devido a alterações conformacionais decorrentes do envelhecimento ou como consequência de lesões. Quando acontece a nível lombar, o paciente pode relatar dores, formigamentos e fraquezas na porção mais baixa das costas, bem como nas nádegas e pernas.
O tratamento cirúrgico pode ser uma alternativa quando os incômodos impedem o paciente de realizar suas atividades cotidianas ou se os sintomas persistirem após o tratamento não-invasivo. Na maioria dos casos o tratamento clínico apresenta bons resultados.

 

Canal vertebral e estenose lombar: o que é isso?

Por dentro da coluna vertebral existe um espaço chamado canal vertebral. Geralmente, esse canal tem diâmetro suficiente para abrigar a medula espinhal e as raízes nervosas que vão para os braços e pernas, permitindo que os sinais neurológicos responsáveis pela movimentação e sensibilidade cheguem até o destino final.

Canal vertebral e estenose lombar: o que é isso?Com o passar dos anos, é comum que ocorram alterações nos ossos, ligamentos, articulações e demais estruturas que compõem a coluna. Essas mudanças podem resultar em uma compressão no canal vertebral (estenose do canal), reduzindo assim o espaço disponível para a passagem dos nervos.

 

Além do envelhecimento, outros fatores também podem desencadear a compressão no canal vertebral (estenose do canal). Entre eles, destacam-se as lesões na coluna e condições clínicas como hérnias de disco (deslocamento do conteúdo de um disco vertebral) ou osteófitos (expansões ósseas popularmente conhecidas como bico de papagaio).

 

+ O que é hérnia de disco?

 

Há ainda indivíduos que nascem com espaço reduzido no canal vertebral. Nesse caso, diz-se que o paciente sofre de estenose congênita. Essa condição é relativamente frequente na acondroplasia.

 

Na medida em que os nervos ficam cada vez mais apertados dentro do canal vertebral, eles enviam sinais para o sistema nervoso que são traduzidos em sintomas como dores, formigamentos e redução da força muscular no local e nos membros inervados pelas raízes acometidas. Dormências e câimbras também podem ser frequentes.

 

Quando a compressão ocorre a nível da coluna lombar, afeta principalmente os nervos que vão para os membros inferiores. Dessa forma, os sintomas da estenose lombar são percebidos principalmente na região lombar, glúteos, coxas, pernas e até os pés. A localização exata do sintoma irá depender da localização e grau da estenose lombar.

 

De acordo com as condições clínicas do paciente e seus exames de imagem, o tratamento pode ser feito através de diversas abordagens. É importante consultar um médico especialista em coluna para determinar as técnicas adequadas para cada caso.

 

Quem deve fazer cirurgia para estenose lombar?

Geralmente, a estenose lombar pode ser tratada através de métodos não-invasivos. As indicações mais comuns incluem o fortalecimento da musculatura do tronco através da fisioterapia e a reeducação postural. Além disso, pode ser necessário realizar acompanhamento com um nutricionista com o objetivo de diminuir o peso corporal e, assim, reduzir a pressão sobre a região lombar.

 

Quando os incômodos causados pela estenose impedem que o paciente realize suas atividades cotidianas normalmente ou quando o tratamento não-invasivo é incapaz de aliviar os sintomas, pode ser preciso realizar uma cirurgia para descomprimir as raízes nervosas.

 

Quem deve fazer cirurgia para estenose lombar?+ O que é a cirurgia da coluna vertebral?

 

De forma geral, a cirurgia para estenose lombar pode ser prescrita nos casos em que:

 

– paciente apresenta dores incapacitantes;

 

– As dores se irradiam pelas pernas e nádegas, com algum tipo de déficit neurológico;

 

– Há piora nos sintomas mesmo após o tratamento conservador;

 

– O tratamento não-invasivo não surte efeitos satisfatórios.

 

 

 

Tipos de cirurgia para estenose lombar

O médico especialista em coluna pode indicar diferentes tipos de cirurgia de acordo com as características específicas de cada caso. Entre os procedimentos mais usados, destacam-se a infiltração na coluna, descompressão minimamente invasiva (endoscopia ou tubular) e descompressão + artrodese.

 

+ Especialista em coluna

Infiltração na Coluna

A infiltração na coluna é um procedimento paliativo para a estenose lombar, mas que muitas vezes evolui para resultados positivos e duradouros. Tudo irá depender do grau e localização da estenose. O objetivo principal é o bloqueio da dor e do processo inflamatório para poder reabilitar melhor o paciente através do tratamento conservador (fortalecimento global e descompressão indireta do canal). É importante frisar que esse não é um procedimento de descompressão do canal estreito, porém tem o objetivo de aliviar ou suprimir os sintomas para um melhor resultado no tratamento clínico global.

 

+ O que é infiltração na coluna?

 

As infiltrações costumam levar em torno de 30 a 60 minutos e não requerem anestesia geral. Dependendo da reação do organismo e da avaliação do médico especialista, a aplicação dessa técnica pode eliminar a necessidade de uma cirurgia de maior porte.

 

Descompressão da estenose minimamente invasiva

A laminotomia e/ou foraminotomias são os procedimento mais comuns para tratar a estenose lombar. Tratam-se de técnicas cirúrgicas com objetivo de remover um segmento do osso que está comprimindo o nervo/raiz (parte da lâmina ou do foramen). Esse tipo de descompressão pode ser realizado de forma minimamente invasiva através da endoscopia de coluna ou cirurgia tubular.

 

Durante o procedimento, osteófitos, hérnias de disco e outras causas de compressão também podem ser removidas.

 

Os pacientes costumam receber alta no mesmo dia após a cirurgia, mas isso pode variar de acordo com a resposta do organismo e com a avaliação da equipe médica responsável.

 

Descompressão + artrodese 

Outro tipo de cirurgia que pode ser realizada em pacientes com estenose lombar é a descompressão + artrodese. Esse procedimento é indicado em casos onde há instabilidade na coluna vertebral associada à estenose, ou seja, quando há movimentação excessiva entre duas ou mais vértebras. Por exemplo, uma estenose do canal associada a uma espondilolistese (escorregamento de vértebra).

 

O objetivo da artrodese é fundir as vértebras instáveis através da formação de pontes entre elas. Para isso, o médico cirurgião pode inserir parafusos, ganchos, espaçadores e outros materiais especiais a fim de estabelecer uma ligação entre as estruturas acometidas.

 

O especialista pode ainda optar pela inserção de enxertos ósseos ou estimuladores para proporcionar a formação de novos ossos entre as vértebras em questão, visando restaurar a estabilidade da coluna.

Descompressão + artrodese 

O que fazer depois da cirurgia de estenose lombar?

Após a cirurgia de estenose lombar, é importante respeitar as recomendações do cirurgião ou especialista em coluna para que a recuperação aconteça de forma rápida e efetiva.

 

O tempo necessário para retornar às atividades cotidianas depende do tipo de cirurgia e do grau da estenose. Por exemplo, casos mais leves que passaram por cirurgias minimamente invasivas costumam ser liberados para retornar ao trabalho em até 7 dias depois do procedimento.

 

Nos primeiros 30 dias após a cirurgia, pode ser necessário usar uma cinta elástica flexível para melhorar a cicatrização local.

 

Além disso, a fisioterapia costuma ser prescrita após a execução da cirurgia não só para restaurar os movimentos da coluna e membros inferiores, mas também para fortalecer a musculatura dessas áreas e melhorar a sustentação do corpo.