Dor na coluna lombar: Entenda tudo sobre o problema

Dor na coluna lombar

A dor na coluna lombar é um sintoma muito frequente na população em geral.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, OMS, cerca de 80% dos indivíduos apresentarão dor na coluna lombar em algum momento da vida.

Felizmente, grande parte dos casos melhora em poucas horas, não sendo motivo de preocupação.

dor coluna lombarOs termos “lombalgia” e “lumbago” também podem ser utilizados para se referir à dor na coluna lombar.

Nem sempre a causa da dor é bem definida e muitas vezes está relacionada à má postura. Nesses casos, é chamada de lombalgia inespecífica.

O aconselhado é manter-se ativo e fazer suas atividades normais na medida do possível, porém evitando esforços ou movimentos que levem à dor. Na maioria dos casos, a lombalgia desaparece no prazo de uma semana.

A lombalgia persistente por mais de 10 dias, pode ocorrer em alguns casos, e então, uma avaliação médica pode ser necessária. Em situações que a dor é persistente e piora em algumas posições que comprimem o disco, pode estar presente uma fissura ou ruptura do ânulo fibroso (a capa que envolve o disco).

+ Fissura ou rotura do ânulo fibroso

Quando há acometimento de uma raiz ou nervo, a dor pode irradiar para algum membro (ciática) e causar lombociatalgia.

Onde está localizada a região lombar?

A parte inferior da coluna vertebral é chamada de região lombar e fica compreendida logo abaixo das costelas e acima da linha dos glúteos.

dor coluna lombarNormalmente temos uma curvatura para dentro nessa região (lordose).

Essa região é composta por vários músculos estabilizadores da postura. A coluna vertebral é composta de muitos ossos chamados vértebras. As vértebras são mais ou menos circulares e entre cada vértebra existe um disco (“amortecedor”). Os discos funcionam como amortecedores e permitem que a coluna vertebral seja flexível.

Nessa região também temos estruturas chamadas “ligamentos”, que ligam os ossos e dão apoio extra e estabilidade entre as vértebras. Uma causa comum de dor é o estiramento ou sobrecarga desses ligamentos, podendo gerar um edema nos ligamentos interespinhosos.

+ Edema nos ligamentos interespinhosos

Dentro da coluna temos a medula espinhal e cauda equina, que contém as vias nervosas responsáveis pelo controle sensitivo e motor dos membros. A compressão dessas estruturas também pode gerar dor, especialmente a dor irradiada referida em outro local (lombociatalgia).

O que é o nervo ciático?

O nervo ciático é o maior nervo do corpo humano, se originando na região da coluna lombar, nas raízes L4, L5, S1, S2 e S3 e se entente até os pés, sendo responsável por promover uma movimentação natural das pernas, joelhos e quadril.

Por conta de sua extensão, quando há uma compressão no nervo ciático, há a possibilidade de a dor na coluna lombar irradiar por toda a extensão do membro inferior, algumas vezes até o pé. Além da dor, pode haver sintomas sensitivos (dormências, formigamentos) e/ou motores (fraquezas, câimbras).

Quais as causas da dor na coluna lombar?

dor coluna lombarA dor na coluna lombar pode ter diversas causas, sendo a má postura um dos principais fatores que contribuem para o surgimento deste problema. Principalmente devido às condições de trabalho, onde os indivíduos permanecem muito tempo sentados em uma mesma posição, tensionando e desgastando as estruturas adjacentes à coluna.

Outro aspecto que impacta na dor na coluna lombar está associado com a presença de quadros primários, como hérnias de disco e a estenose do canal lombar.

+ Estenose do canal vertebral

Esses casos podem necessitar de uma investigação de um médico especialista em coluna, uma vez que tais problemas podem evoluir para quadros clínicos mais acentuados e crônicos, comprometendo a qualidade de vida do paciente.

Quando a dor na lombar se torna crônica?

O quadro de dor na coluna lombar se torna crônico a partir do momento em que o mesmo se faz presente por um período superior a quatro semanas. Em grande parte dos casos, o problema agudo evolui para um estágio crônico quando há outros fatores envolvidos, como desgastes dos discos intervertebrais ou a presença da artrose na coluna.

Caso este problema seja persistente ou os quadros agudos sejam mais frequentes e acentuados, é preciso se consultar com um médico especialista em coluna para avaliação.

Quais são os tipos de dor na coluna lombar?

Existem dois tipos mais conhecidos de dores na coluna lombar, que possuem causas e locais de dor diferentes, sendo eles:

Lombalgia inespecífica

Este é o tipo mais comum. Esse é o tipo de dor na coluna lombar que a maioria das pessoas terá em algum momento de sua vida. Ela é chamada de inespecífica, pois geralmente nenhum problema ou doença específica pode ser identificada como a causa da dor. A intensidade da dor é variável e a maioria dos casos melhora rapidamente.

Lombociatalgia

lombociatalgiaA lombociatalgia, muitas vezes chamada de ciática, ocorre em cerca de 5% dos casos de dor lombar aguda. “lombociatalgia” significa que um nervo (raiz nervosa) que sai da coluna está irritado ou comprimido.

O paciente sente dor ao longo do trajeto do nervo. Portanto, você normalmente sentirá dor para baixo descendo em uma perna, às vezes até o pé. A dor na perna ou no pé é muitas vezes pior do que a dor lombar. Pode estar associado formigamento, dormência ou fraqueza no membro acometido.

Cerca de 80% dos casos de lombociatalgia são devido a uma hérnia de disco.

Síndrome da cauda equina

Apesar de rara, a síndrome da cauda equina é um tipo grave de compressão de múltiplas raízes nervosas. Esta é uma doença rara em que os nervos na parte inferior da cauda equina são comprimidos.

Esta condição pode causar dor lombar e problemas na função do intestino e bexiga (incontinência), dormência na área do períneo e fraqueza em uma ou ambas as pernas.

Essa síndrome precisa de tratamento urgente para evitar que os nervos da bexiga e intestino fiquem permanentemente lesados. Consulte um médico imediatamente se você suspeitar de síndrome da cauda equina.

Causas menos comuns de dor na coluna lombar

dor facetáriaA inflamação das articulações da coluna vertebral (artrite) por vezes provoca lombalgia devido à dor facetaria. Essa condição é mais comum após os 60 anos de idade.

+ Dor facetaria

A espondilite anquilosante é uma outra forma de artrite que pode ocorrer em adultos jovens e provoca dor e rigidez na parte inferior das costas, causando uma sacroileíte. A artrite reumatoide também pode afetar a coluna, e nesse caso é provável que haja outras articulações afetadas concomitantemente (mãos, pés, joelhos etc.).

Vários distúrbios incomuns como tumores e infecções ocasionalmente podem causar dor lombar (Menos de 1 em 100 casos de lombalgia).

Quais os principais sintomas da dor na coluna lombar?

dor na coluna lombarAlém do incômodo recorrente na parte baixa das costas, o paciente também pode sentir incômodos como formigamentos, limitação de movimentos, sensação de travamento na coluna e dificuldade para movimentar as pernas, em alguns casos.

Caso estes sintomas sejam presentes por um período superior a duas semanas ou a dor aguda seja incapacitante, um médico especialista em coluna deve ser procurado para avaliação e tratamento do quadro.

Como a dor na coluna lombar é diagnosticada?

Na avaliação médica uma história clínica/anamnese completa deve ser realizada. O exame físico também é fundamental. Alguns casos necessitam de avaliação diagnóstica adicional com exames complementares.

Os testes clínicos também consistem na avaliação de reflexos do paciente, tendo em vista que, caso haja um bloqueio na funcionalidade do nervo ciático, é possível determinar através deste tipo de diagnóstico.

Caso exista uma suspeita de compressão neurológica, o médico especialista em coluna pode solicitar exames de imagem, como a ressonância magnética, que mostra em detalhes a estrutura da coluna.

Quando devo me preocupar com uma dor na coluna lombar?

avaliando a lombalgiaFique atento para alguns sinais que exigem avaliação médica (sinais de alerta):

  • Dor que se desenvolve gradualmente e lentamente fica pior ao longo de dias ou semanas;
  • Dor lombar constante que não é aliviada na posição deitada ou ao repouso;
  • A dor que irradia para o peito;
  • Fraqueza dos músculos em uma perna ou pé;
  • Falta de sensibilidade (dormência) em qualquer parte da perna ou pé;
  • Sintomas reumatológicos associados (dor pior ao acordar com rigidez, inflamações etc.);
  • Sintomas de cauda equina como descrito anteriormente (incontinência, dormências no períneo, fraquezas);
  • Presença de osteoporose;
  • Febre ou algum sinal de infecção;
  • Perda de peso progressiva;
  • Dor noturna (que acorda durante a madrugada).

Qual o tratamento para dor na coluna lombar?

Caso a dor na lombar seja persistente e não alivie após um breve período de repouso, é preciso da orientação de um médico especialista em coluna para o tratamento correto.

Se o paciente apresentar dores constantes e limitação de movimentos, exames de imagem podem ser solicitados para determinar a causa do problema. Problemas no disco intervertebral são relativamente frequentes nesses casos.

treinando as costas para melhorar da dorO tratamento consiste no uso de medicamentos específicos e mudanças no estilo de vida, como perda de peso e prática de atividades esportivas.

Em quadros onde a dor se tornou crônica e/ou há acometimento neurológico, algum procedimento adicional pode ser necessário (bloqueio, infiltração, endoscopia, descompressão, etc). Mas mesmo nesses casos, grande parte pode ser tratado clinicamente.

Além do mais, terapias que fazem o uso de técnicas manuais e exercícios para trabalho postural e fortalecimento da coluna, como a Reeducação Postural Global (RPG) e a fisioterapia, são opções que podem ser indicadas para uma melhora no quadro do paciente.

+ Reeducação postural global

A prescrição de medicamentos é feita exclusivamente por um médico. Não utilize nenhum remédio antes de sua consulta com seu médico.

Como prevenir dores na coluna lombar?

prevenindo a dor lombar com exercíciosEvidências sugerem que a melhor maneira de evitar crises de dor na coluna lombar é simplesmente manter-se ativo e praticar exercícios regulares. Exercícios simples como caminhar, correr e nadar são ótimos para manter o tônus muscular. Alongamentos e exercícios de fortalecimento isométrico abdominal/paravertebral são importantes.

Outro ponto importante é a postura do dia a dia. Evite ficar muitas horas sentado e mal posicionado na frente do computador. O sedentarismo, sobrepeso e tabagismo aumentam muito o risco de crises recorrentes.

+ Qual a postura correta?

Portanto, caso sofra com dores na região da coluna lombar, seja de forma aguda ou um incômodo que seja persistente, não deixe de procurar o acompanhamento especializado para diagnóstico e tratamento do problema.

Perguntas frequentes sobre dor na coluna lombar

Caso o quadro seja agudo ou crônico, existem perguntas muito frequentes que os pacientes fazem no consultório para o especialista em coluna. Dentre as dúvidas mais comuns, estão:

O nervo ciático é sempre o problema?

Não. O nervo ciático pode ser uma das causas, no entanto, existem outros fatores que contribuem para uma dor na região da coluna lombar, indo além da compressão neurológica, como problemas musculares na estrutura osteomuscular da coluna vertebral.

O colchão pode provocar dor na coluna lombar?

Sim, pode. Assim como a má postura, um colchão que passou de sua validade, pode prejudicar a coluna lombar, tendo em vista que o paciente acaba tensionando a região enquanto está deitado, algo similar com o que ocorre quando o indivíduo está sentado com a postura incorreta.

+ Qual o colchão ideal?

Posso sentir dor na coluna lombar mesmo praticando esportes?

Sim, é possível sentir dor mesmo sendo esportivamente ativo. A má execução da técnica esportiva, assim como traumas sofridos na região da coluna em modalidades de contato, pode desencadear dores na lombar.

Por que posso sentir dores nas pernas?

Quando há a compressão neurológica, especialmente do ciático, as dores na coluna lombar também podem irradiar para as pernas, tendo em vista que o nervo percorre todo o membro e por conta do bloqueio nesta terminação nervosa, o paciente sofre com dores e limitação de movimentos.

O que devo fazer caso sinta dor na coluna lombar?

Se a dor for leve e você tiver feito algum esforço prévio, tente continuar com suas atividades normais em um ritmo menor sem forçar.

Como regra geral, não faça nada que provoque dor. Esse é um aviso do seu organismo que algo não está normal. Se a dor persistir por mais de 1 semana, não ceder com analgésicos simples ou tiver algum sinal de alerta associado dos listados acima, procure um especialista.

A dor lombar pode desaparecer naturalmente?

Sim, ela pode. Contudo, os quadros de dores agudas na coluna lombar podem desaparecer caso o paciente respeite o período de descanso e siga as orientações de um médico especializado.

Caso exista a persistência da dor, o quadro é caracterizado como crônico e, por isso, os incômodos não vão diminuir enquanto o tratamento adequado não for prescrito.

Sempre procure a avaliação médica de um especialista na dúvida ou persistência dos sintomas.

dor coluna lombar

Agende uma consulta com Dr. Luciano Pellegrino

    Unidade de preferência:

    Telefone: (11) 3459-2128

    Whatsapp: (11) 95020-1592

    Horário: Segundas e Quartas das 08h00 às 18h00 | Terças e Quintas das 08h às 20h | Sextas das 08h às 17h

    Sem comentários

    Deixe seu comentário