Desidratação discal

O que é a desidratação discal?

Desidratação discal é uma condição degenerativa do disco intervertebral, que acomete essa estrutura tão importante para o funcionamento da coluna. Este problema atinge o núcleo pulposo do disco, prejudicando a qualidade de vida do indivíduo.

Com a desidratação do disco, esse núcleo acaba perdendo sua função e elasticidade, podendo desenvolver pequenas fissuras em sua capa mais externa.

O processo de desidratação do disco é uma ação natural do tempo e pode ocorrer com diversas pessoas. Contudo, existem fatores que aumentam a predisposição para este problema ocorrer, como o sobrepeso ou atividades que provocam o desgaste excessivo desta estrutura.

degeneração discal

Quais as causas dessa condição?

Como mencionado, a desidratação discal está associada com o fator da senilidade, no qual os discos intervertebrais têm seu interior degenerado devido ao constante uso durante a vida do paciente.

As condições de vida do paciente também impactam neste aspecto, tendo em vista que realizar atividades que provocam uma sobrecarga além da capacidade do disco, contribuem para o avanço da condição.

No caso de pacientes acima do peso, esta condição é comum por conta da carga constante imposta sobre o disco intervertebral, o que favorece a desidratação discal de forma precoce.

Quais os sintomas da desidratação discal

degeneração discalA maioria dos casos de desidratação discal são assintomáticos, isto é, são achados de exames de imagem.

Quando há sintomas, os principais são a limitação funcional de mobilidade e a dor constante na região da coluna. Além disso, a instabilidade entre as vértebras pode ser um sintoma presente, tendo em vista que os discos auxiliam também nessa função.

Com a progressão do quadro, o disco fica cada vez menor e as fibras anelares do disco acabam se degenerando. Todo esse processo predispõe o paciente a desenvolver outras condições, como osteófitos e a artrose na coluna.

+ Bico de papagaio

A artrose na coluna também se desenvolve a partir desta desidratação discal, isto se dá muito em função da degeneração entre as vértebras, favorecendo a compressão dos nervos da coluna e o desgaste ósseo, assim como escolioses ou cifoses.

Qual a diferença entre desidratação discal e hérnia de disco?

degeneração discalApesar de existirem semelhanças no que diz respeito à estrutura vertebral acometida, a desidratação discal possui diferenças de condições com relação à hérnia de disco.

Na desidratação discal, o núcleo pulposo do disco é apenas degenerado e com menor conteúdo hídrico. Já na hérnia de disco, há o rompimento do ânulo fibroso (capa do disco) com o deslocamento do núcleo pulposo para o canal dos nervos. No primeiro caso o paciente pode ter apenas uma dor local na coluna, já no segundo caso, em geral, a dor local também irradia para o trajeto do nervo acometido.

+ Fissura ou Rotura do Ânulo Fibroso

Diagnóstico da desidratação discal

O diagnóstico é feito pelo médico especialista em coluna, que irá analisar o histórico do paciente, idade e hábitos que podem ter desencadeado este quadro.

Além dos sintomas, o profissional pode solicitar exames de imagem como o raio-x e a ressonância magnética, que irão possibilitar uma visualização mais clara do quadro, como alterações estruturais ou outras condições secundárias que a desidratação do disco causou.

Tratamento para desidratação discal

degeneração discalO tratamento para a desidratação dependerá da avaliação de um especialista em coluna, que irá determinar o grau do problema com base nos dados coletados através dos exames de imagem e testes clínicos.

+ Especialista em Coluna

A abordagem pode ser feita de forma isolada ou combinada, com o uso de medicamentos para as fases agudas do problema, sessões de fisioterapia para fortalecimento da musculatura e exercícios específicos para a coluna, assim como a reeducação postural global.

Caso o paciente não apresente melhora no problema, é possível realizar a intervenção através de bloqueios na coluna para aliviar a dor e limitação de movimentos.

+ Infiltração na coluna

Cirurgia para desidratação discal

Raramente procedimentos mais invasivos são indicados nesses casos. A indicação cirúrgica irá depender de outros sinais e sintomas associados, como por exemplo a evolução da desidratação discal para uma hérnia discal com alterações neurológicas.

Através da endoscopia de coluna, procedimento minimamente invasivo, é possível abordar o paciente com uma incisão de menos de 1 cm e de forma prática. Por meio de uma pequena câmera, o cirurgião é guiado até o local acometido para a remoção de uma possível hérnia de disco e a descompressão dos nervos na região.

+ Endoscopia de coluna

Perguntas frequentes

Muitos pacientes chegam ao consultório com diversas dúvidas sobre a desidratação discal quando a mesma é diagnosticada. Dentre as principais perguntas, estão:

Quais as regiões mais afetadas?

Dentre as principais regiões acometidas está a cervical e lombar. Estas partes da coluna são mais suscetíveis a desidratação discal devido ao constante trabalho das estruturas vertebrais na sustentação de peso e no movimento do paciente.

A cirurgia é sempre a solução para tratamento?

Não. Em geral a cirurgia não é indicada em casos de desidratação discal isolada! A intervenção cirúrgica só se faz necessária quando há a presença de compressão dos nervos ou alterações anatômicas estruturais mais significativas.

Outros discos podem sofrer desidratação?

Sim, podem. A desidratação discal é um processo normal do envelhecimento do sistema musculoesquelético e esta condição pode se repetir em outros discos que fazem parte da coluna vertebral. Contudo, através do aconselhamento de um médico especialista em coluna e a adoção de hábitos saudáveis, é possível evitar a recidiva do quadro.

É possível prevenir a desidratação discal?

Sim, é possível. Embora faça parte do envelhecimento do corpo, a desidratação discal pode ser prevenida com a prática de atividades físicas, especialmente na terceira idade, assim como uma alimentação balanceada para controle do peso.

dor nas costas em idosos

Agende uma consulta com Dr. Luciano Pellegrino

    Unidade de preferência:

    Telefone: (11) 3459-2128

    Whatsapp: (11) 95020-1592

    Horário: Segundas e Quartas das 08h00 às 18h00 | Terças e Quintas das 08h às 20h | Sextas das 08h às 17h

    Sem comentários

    Deixe seu comentário